segunda-feira, 17 de outubro de 2011

O picão e a perereca

Gentis leitores,
Desculpem a crueza deste título, mas ao final verão a relevância cultural e ideológica e que tenho razão de tratá-lo sem meias palavras.
Fui almoçar com duas queridas amigas arquitetas, mulheres, modernas, cultas, títulos acadêmicos, pelas tantas uma diz:
- Não aquele alí não manda nada, o picão mesmo é o Fulano.
Roda a conversa, muda-se de assunto a outra comenta:
- Mas o acabamento desta obra está muito perereca.
Não me contive:
- Anos de luta feminina e vocês quando querem exaltar a força e o poder de alguém dizem que é um picão, parece que estamos no tempo de Roma onde a força e a coragem, mais, até a alegria, estavam associadas ao masculino, na frente das casa um altar com um falo e uma inscrição: Aqui mora a Felicidade.

Quando uma coisa não presta é perereca. Um conselho, sejam mais democráticas quando uma coisa estiver ruim, não prestar, digam ESTÁ UM CU, pelo memos é comum de dois.

6 comentários:

  1. Haja democracia!

    ResponderExcluir
  2. Haja Democracia!!!

    ResponderExcluir
  3. Palavras inteiras soam melhor que meias palavras.
    "A verdade às vezes dói, mas é porque voce constrói..."

    ResponderExcluir
  4. Rsrsrsrsrsrsrsr: fala sério aí!

    ResponderExcluir
  5. Fala Nassar, só rindo muito...
    OdeO

    ResponderExcluir
  6. esse dudu é um CÙ de cachorro velho

    ResponderExcluir